sexta-feira, 21 de julho de 2017

San Diego Comic Con 2017.

     De 20 a 23 de julho rola uma das melhores comic cons do mundo, a de San Diego, Califórnia. Muita bobagem, muito infantilismo, mas como tem de tudo, sempre tem algo aproveitável. Como todo mundo que ama quadrinhos, sou apreciador desde criança, mas nunca dei muita pelota para quadrinhos de super-heróis com cuequinha por cima da malha colant e coisas do gênero, a grande escola americana. Nerdice, pra mim, tem limite, e é curto. Panaquice japonesa também descarto. Minha preferência são os quadrinhos europeus, adultos, tiras de humor, etc. Mas sempre vale a pena dar uma espiada. Não desprezo nem viro as costas totalmente. Se estivesse nos Estados Unidos, daria uma passadinha por lá. Este vídeo tem algumas cosplays interessantes.




Site oficial:


Animação. A Single Life.

     O tempo controlado pela execução de um disco na vitrola. Premiada e divertida animação produzida pelo estúdio holandês Job Joris & Marieke.

 

quinta-feira, 20 de julho de 2017

28º Prêmio da Música Brasileira.

     Ocorreu ontem, no Municipal do Rio, a cerimônia do 28º Prêmio da Música Brasileira. Homenageado, Ney Matogrosso. Eu destaco uma vencedora, a cantora Elza Soares, 80, que ganhou o melhor álbum do ano, Elza Canta Lupi, onde ela interpreta canções do gaúcho Lupicínio Rodrigues (1914-1974). Elza é a estrela sestrosa do gingado do samba dos anos 50 e 60, ex-mulher do jogador Garrincha. De personalidade forte, ainda está plenamente ativa. E Lupicínio ficou carimbado para a posteridade como o compositor das canções doloridas das frustrações de amor, a "fossa". Neste vídeo, Vingança.

"Eu gostei tanto, tanto, quando me contaram, que a encontraram bebendo e chorando na mesa de um bar..."




Lista dos vencedores do 28º Prêmio da Música Brasileira.

Virais quase engraçados.

     Não. Não estou querendo transformar meu blog em repositório de virais pretensamente engraçados, como há muitos por aí. Apenas pinço alguns, de acordo com o "meu" senso de humor, e os utilizo como tampão para falta de assunto. Virais são muito mais abundantes do que assuntos relevantes. Rolam às pencas. Tudo tem a sua hora e utilidade. Escolhidos os melhores e excluídas as bobagens infantis, há coisas aproveitáveis. Rir é o melhor remédio, depois da manguaça, já diz aquele filósofo do boteco da esquina. 


quarta-feira, 19 de julho de 2017

Choro manouche de Tiago Tunes.

     Tiago Tunes é um dos mais jovens bandolinistas do Brasil. Toca desde criança. Cresceu um pouco. E lembro que Jacob do Bandolim (1918-1969) deixou sempre claro que pensava que o choro iria desaparecer depois dele, especialmente o bandolim. Estava redondamente enganado. Era musicalmente gênio, mas um pouco reaça e míope de visão. Suas predições negativistas não se concretizaram. Tiago leva o choro além de suas fronteiras e o insere no estilo jazz manoche (cigano) inaugurado pelo guitarrista belga Django Reinhardt.


Virais quase engraçados.

     Inaugurando a série Virais Quase Engraçados. Mas humor é subjetivo. Veja se consegue rir.





segunda-feira, 17 de julho de 2017

HQ Mix 2017. Lista de indicados.


Publicidade internacional. Índia. Sabonete Hamam.

     A Índia tem índices preocupantes de qualidade de vida para mulheres. O machismo milenar as sufoca e as faz vítimas de maus tratos, crimes e desrespeito. Mas o empoderamento feminino está chegando. Este filme do sabonete Hamam mostra a menina se preparando para enfrentar o mundo sozinha. 




domingo, 16 de julho de 2017

Jazz at Lincoln Center ao vivo pelo Livestream.

     Para programar. Terça-feira, 18 de julho, 8:30 da noite, McCoy Tyner. Abra a página e confira as demais apresentações. O mês ainda tem a fantástica orquestra de Vince Giordano, que toca jazz dos anos 20 (já participou de trilhas de Woody Allen), Carlos Henriquez and his Mambo Orquestra, Wynton Marsalis e termina com Marcus Strickland.




quinta-feira, 13 de julho de 2017

Quinteto D'Amore, bar Floridita, la Habana.







Crônica rápida. A negociação.

       A reforma da lei trabalhista brasileira, já aprovada pelas casas legislativas e que será sancionada brevemente por Michel Temer, tem como um dos principais pontos a disposição de negociação entre empregadores e trabalhadores. É bem fácil imaginar que a disposição legal trará bastante prejuízos à classe trabalhadora porque permitirá que patrões apresentem propostas leoninas, assim entendidas aquelas que, por razões práticas e circunstanciais, não podem ser questionadas. Temer é uma das piores coisas que poderiam ter acontecido ao pobre trabalhador brasileiro. Imagino, abaixo, uma dessas "negociações".

     Enquanto isso, na gerência daquela firminha terceirizada de empacotar cesta básica para uma firma de cesta básica. Calor de verão. O ventilador ligado espalha a meia dúzia de fios de cabelo que o chefe puxa para a direita e passa cuspe para tentar cobrir a careca. Tem uma foto do Corínthians de 77 na parede suja e a porta do sanitário minúsculo está aberta. Dentro dele, o poster de uma modelo nua. A sala cheira chulé. Pilhas de papelada e mofo pra todo lado. O chefe chama o funcionário, que vem do barulhento barracão de produção. 
     - Senta aqui. Vamos negociar. 
     - Pois não. 
      - Quantas horas por dia o senhor trabalha? 
     - Oito. 
     - É pouco. Vamos rebolar essa bunda gorda. Daqui por diante serão doze. 
     - Mas... 
     - Nem mais nem menos, rapaz. É pegar ou largar. E horário de almoço, como você se vira?
     - Bom, faço o que todos fazem e o que a lei manda. Tenho duas horas de almoço.
     - Muita folga. Vamos apertar isso aí, viu. De agora em diante serão quinze minutos de almoço. Passa um palitinho no piano e volta pro trampo.
     -Mas...
     - Já falei que não tem mais nem menos. Chega de mimimi. Vamos botar esse traseiro gordo pra trabalhar. E férias, quando o senhor vai sair de férias e por quanto tempo.
     - Bom, saio semana que vem. Fico um mês longe daqui. Já programei viagem com minha mulher para Xique-Xique, na Bahia, para visitar o irmão dela.
      -Na na ni na. Não vai não. E as férias serão fracionadas em três. Tá pensando que essa firma é resort?
     O funcionário afasta um pouco o rosto para não ser atingido pelos perdigotos do chefe, que complementa: 
     - Tem gente às pampas querendo o seu emprego. A lei mudou, meu chapa. O Congresso botou no seu pandeiro, hahaha. Bom, assina isso. 
     - Ok, tem que manter isso aí, viu. 
     - Falou. Agora fora.

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Francis Hime explica A Felicidade.

     Bacana. Vale a pena ouvir os esclarecimentos que Francis Hime oferece para A Felicidade, canção de Vinícius de Moraes e Tom Jobim. Ela foi composta para a trilha sonora do filme Orfeu Negro, direção de Marcel Camus, que ganhou a Palma de Ouro em Cannes, em 1959. É um clássico da era bossa nova. 

     Vendo Francis, caiu-me uma ficha. Quando eu era criança, ele e outros como Edu Lobo e Chico Buarque, eram os incontestáveis garotões charmosos dos descolados, e que vinham da geração dos festivais, já à frente da bossa nova. Estão velhos e eu já passei "del mezzo del camin di nostra vita", como diria Dante. Caraca.




Academia Brasileira de Cinema.

     A Academia Brasileira de Cinema é bem interessante porque foi idealizada, em essência, no mesmo modelo da academia de Hollywood. Assim, para premiações, os filmes são escolhidos pelos próprios profissionais que trabalham no cinema. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro acontece em setembro. Os indicados já são conhecidos. O Grande Prêmio do Cinema Brasileiro está em bom caminho para superar Gramado, que já foi a melhor premiação brasileira, mas anda meio em baixa. 



terça-feira, 11 de julho de 2017

Inconformismo. Site 342Agora.com.

     O site 342Agora.com ajuda o eleitor inconformado a fazer pressão e enviar e-mails para todos os deputados de Brasília, pedindo o julgamento e a saída de Temer. É bem fácil. Bastar escolher a opção. 



segunda-feira, 10 de julho de 2017

Viatura gay da polícia de Nova York.

     Viatura "drag queen". Modelo lançado para o Gay Pride.

     Sirene provável: uuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuiii... ui  ui ui ui ui ui...