Facebook

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Bob Esponja real.

     Achei quase interessante isso como traço. A ilustradora russa Polly, ou ilustrador russo, não sei, procurei informações e não encontrei, criou os personagens da Fenda do Biquini com traços tradicionais de quadrinhos. Ficou com a cara daquela Turma da Mônica Teen. E Bob Esponja continua com pinta de gay.
 

Curta de animação indiano. The Shiner (o engraxate).

     Noto que o cinema alternativo na Índia tem uma força incrível. São milhares de curtas todo ano. De vez em quando dou uma espiada em portais que mostram as novidades. A maioria dos filmes trazem propostas sociais e são bem melhores do que as bobagens românticas e cheias de dancinhas panacas da indústria oficial, em Bollywood. A Índia é um dos países com diferenças econômicas e sociais mais cruéis do mundo. A realidade do cotidiano para as mulheres, especialmente as pobres, é difícil, para dizer pouco. Há campanhas e cobranças de opinião pública mais fora do país do que dentro. Apesar disso, apesar da pobreza clamorosa e escandalosa da imensa massa de mais de um bilhão de pessoas, a Índia tem índices de violência muito, mas muito mesmo, menores do que o Brasil. E a Índia investe em armas nucleares. Gasta uma fortuna. 

 

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Artistas do Brasil protestam com canção #EleNão

     A canção tem formato clichê mas o que vale é o significado de forma geral. Pois bem, é grande o esforço dos formadores de opinião para orientar e alertar o eleitorado brasileiro. Mas é tarde. Bolsonaro, deputado do baixo clero que por 30 anos falou bobagens homofóbicas, racistas e de flerte com os ideais da extinta ditadura militar, transformou-se em um fenômeno avassalador. 



segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Estúdio Batuta | Monarco canta "Passado da Portela"

     Hildmar Diniz, o Monarco. Velha guarda da Protela. Vídeo Instituto Moreira Salles.



Virais quase engraçados 15.10.2018.

     Vocês já devem ter notado a predominância de vídeos russos e brasileiros. A razão é que estas duas civilizações sãos as que mais postam vídeos antissociais na internet.  

Nem ele se aguenta.







  

domingo, 14 de outubro de 2018

Monseñor Oscar Arnulfo Romero, San Romero de América.

     Vivemos um tempo preocupante em que os discursos de extrema direita se alastram no mundo. Europa, Estados Unidos e, agora, até no Brasil. O extremista Bolsonaro está com a faca e o queijo na mão para vencer as eleições presidenciais. A parte sensata do país se choca, mas precisa ficar preparada. Bem, esta semana o Papa Francisco canonizou o arcebispo de San Salvador, Don Oscar Arnulfo Romero. Rotulado pelos animais como "comunista", embora não fosse, Don Oscar Romero foi assassinado por milícias a serviço do governo salvadorenho em 1980, enquanto rezava missa. Pagou caro preço pela intransigente e coerente defesa da paz e dos pobres. Tornou-se mártir. Tendo a crer que, se o Papa atual não fosse o jesuíta Jorge Mario Bergoglio, a memória de Oscar Romero continuaria engavetada. Já postei aqui uma bonita canção do astro panamenho Ruben Blaedes que homenageia Don Oscar Romero, El padre Antonio y su Monaguillo Andrés. Querendo encontrar coisa nova, achei esta canção, muito bonita e recente. Não encontrei maiores informações acerca da autora, Irene Coronado. Mas fica aí o registro. Bela canção. E que a humanidade encontre melhores caminhos. Don Oscar Romero é uma luz. 
 


sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Romaria, de Renato Teixeira, com Drigo Ribeiro.

     Hoje, 12 de outubro, o Brasil reverencia a sua padroeira, Nossa Senhora da Conceição Aparecida. Existe o mito de que a imagem da mulher de cor preta com um manto azul teria surgido para pescadores no rio Paraíba no século XVIII. O mito é próximo ao de Nossa Senhora de Guadalupe, do México. Manipulação da igreja? Este é outro papo. Em 1977, Renato Teixeira compôs Romaria, que se tornou sucesso com Elis Regina. A canção, bonita e que toca até quem não é religioso, penetra pelo universo caipira das barrancas do rio Paraíba, dos romeiros em peregrinação à Basílica de Aparecida, e acabou como um verdadeiro hino de devoção à santa. Muita gente gravou mas Elis vicia os ouvidos e é difícil encontrar alguma coisa nova que vale ser mostrada. Neste vídeo, Drigo Ribeiro interpreta Romaria de forma inusual, com uma guitarra steel, horizontal. Ficou muito legal. Este talentoso artista é natural de Cabreúva e mora em Jundiaí, São Paulo.
 


Spirou, défenseur des droits de l’homme

     Criado por Rob-Vel em 1938, o personagem belga Spirou foi eleito pela ONU como o símbolo da defesa dos direitos humanos. 



     Não custa lembrar que, por outro lado, Hergè, o quadrinista também belga criador do Tim Tim, foi acusado de simpatia ao nazismo.
 

O Sol Nascerá, de Cartola, com o Quinteto Samba Aí.

     Simpático este vídeo do grupo Samba Aí. Ontem, 11 de outubro, transcorreu a data de nascimento do compositor carioca e mangueirense Agenor de Oliveira, o Cartola (1908-1980). O grupo Samba Aí, que é do sul, de Florianópolis, Santa Catarina, interpreta O Sol Nascerá de forma bem original, dentro de um botequim. "Efeitos especiais" mostram o rosto de Cartola.

Para cantar em tom bem alegre:

"...a sorrir eu pretendo levar a vida, pois chorando eu vi a mocidade perdida..."




quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Teaser "Festa de Magia" - Mestre Moa do Katendê

     O baiano mestre Moa do Katendê, capoeirista, compositor, percursionista e difusor da cultura afro-baiana, foi assassinado no último domingo em um boteco em frente ao Dique do Tororó, em Salvador. O assassino, boçal simpatizante das ideias de Jair Bolsonaro, que sequer conhecia o valor de Moa, irritado com a afirmação de Moa de que havia votado no candidato Haddad em primeiro turno das eleições, desferiu-lhe doze facadas. Crime torpe e covarde que prenuncia a intolerância e os maus tempos para o futuro do Brasil se as correntes fascistas vencerem o segundo turno. Este vídeo tem alguns meses e demonstra toda a capacidade de Moa, que era amigo de astros como Caetano Veloso. 

 

     Difícil e não recomendável a quem não se ocupa essencialmente de temas políticos fazer posicionamentos sobre o assunto. Quem fala sobre música, quadrinhos, literatura, etc., e não tem interesses e nem pendores para militâncias, tem leitores potenciais de todas as correntes e, se puder, deve ser, pelo menos, discreto. Mas, para o caso, como passar omisso? Bolsonaro não é um candidato apenas representante "do outro lado". Trata-se de um fanfarrão troglodita e despreparado que não pode assumir as rédeas do Brasil. Entendo estas premissas como básicas e inquestionáveis. Evidente que seria exagero apontá-lo como responsável direto por um crime de bar, como o que vitimou mestre Moa. O motivo poderia ter sido a rivalidade entre Vitória e Bahia, por exemplo. Mas não foi. O comportamento psicótico e insano de Bolsonaro cria sim, ambientes perigosos. Isso é fato. Seu perfil fascistoide está evidenciado no discurso exercido ao longo de sua carreira, fundada no baixo clero do legislativo brasileiro, e que estão disponíveis em vídeos de entrevistas e de fanfarronices de palanque. Basta procurar por menos de dois minutos que é fácil encontrar. Apesar de temer o resultado pós-eleitoral, não patrulho o voto de ninguém, mas não vejo sequer possibilidade de polêmica. Bolsonaro deve ser evitado. Enfim, a campanha feita contra a esquerda nos últimos tempos lançou na massa eleitora o desejo de mudanças, fazendo de Bolsonaro um fenômeno. Jesus nos proteja.
     

quarta-feira, 10 de outubro de 2018

Quadrinhos. A Vida Dura de Armando.

     Criação de Altair. A rotina e o cotidiano do publicitário bunda mole e cuzão Armando.


     Esta piada é boa, mas parte do princípio de que só o macho "faz cocô" criminosamente. Nada disso. Já vi muita bonitinha fazer serviço de derrubar os pelos do nariz.

Festival de Choro da Primavera.

     Vale a pena divulgar. Começa hoje na bonita Floripa.



segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Samba campeão Portela 2019.

      O tema Clara Nunes não poderia ser mais inspirador. Entre os concorrentes havia coisa melhor do que este vencedor. Mas aí está. Não sou chato nessa hora. Tá valendo. 

 

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Joyce Cândido. Última Estação.

     Dizer que uma cantora de talento, versatilidade e bom repertório é bonita pode ser irrelevante? Pode, e geralmente é. Mas, no caso de Joyce Cândido, a constatação da beleza é inevitável, impacta. Joyce é paulista mas tem aquela pinta derrubante de pantera mineira. E, afinal, ela tem talento, versatilidade e bom repertório. Cada um que coloque na frente da apreciação o que achar melhor, a beleza e depois as outras qualidades, ou as outras qualidades e depois a beleza. O conjunto faz de Joyce uma artista bastante sedutora. 

 

     Venho notando que muitos artistas preferem gravar seus clipes no Flamengo devido a visão privilegiada da Pedra do Pão de Açúcar.